,

Angola interessada em programa de energia solar financiado pelo Banco Mundial

O Banco Mundial vai apoiar a expansão do sistema de energia solar fotovoltaica na rede pública, visando superar o défice energético de Angola, principalmente nas zonas rurais

O Ministério da Energia e Águas (MINEA) angolano convidou um grupo de especialistas do Banco Mundial para apresentar o  programa denominado “Scaling Solar”, que visa dar uma solução integrada aos países africanos para que os governos mobilizem rapidamente investimentos privados em projetos de energia solar fotovoltaica conectados à rede eléctrica num período de dois anos.

O programa, apresentado esta segunda-feira (14), em Luanda, durante um seminário organizado pelo MINEA, pretende igualmente apoiar os países africanos na implementação de projetos que asseguram, entre outros aspectos, as tarifas mais favoráveis, a atração de investimentos do setor privado, o engajamento de promotores competentes e experientes nas tecnologias solares, e sobretudo o financiamento dos projetos para longo prazo.

Na ocasião, o secretário de Estado da Energia, António Belsa da Costa, reafirmou que as instituições membros do grupo Banco Mundial têm sido parceiras de desenvolvimento importante para Angola, sendo que atualmente o Governo angolano está no processo de avaliação de uma nova colaboração no contexto de desenvolvimento dos projetos de energias renováveis.

Segundo o secretário de Estado, as discussões preliminares com os responsáveis do Banco Mundial sobre programa “Scaling Solar” começaram em Julho de 2017, sendo que a avaliação de várias opções de implementação deste programa vai continuar.

Para o grupo Banco Mundial, os países precisam de diversificar as suas fontes de energia, diminuindo a dependência de combustíveis fósseis.

Segundo o Banco Mundial, o “Scaling Solar” oferece rapidez, eficiência, escala programática e concorrência para reduzir as tarifas e atrair a participação de promotores privados com capacidade técnica e financeira.

Em África, países como a Zâmbia, o Senegal, Madagascar, Moçambique, entre outros, já beneficiam deste programa.

Ainda no sector da energia solar, Angola conta com o funcionamento de pequenos sistemas, nas zonas com maior carência energética, nas províncias do Bié, Cuando Cubango, Zaire, Lunda Sul, Moxico, Lunda Norte, Cunene, Huíla e Cuanza Sul, segundo a directora nacional de Energias Renováveis, Sandra Cristóvão.

FONTE – africa21digital.com