,

Conheça a escola mais sustentável da Dinamarca

Coberta por 12 mil placas que captam a energia do sol, a Copenhagen International School produz aproximadamente 50% da eletricidade que consome

Copenhagen International School (Foto: Divulgação/CIS)VIDRO DOS PAINÉIS SOLARES É ITALIANO, MAS FOI REVESTIDO NA SUÍÇA COM UMA CAMADA PROTETORA QUE LHE GARANTE TRANSPARÊNCIA E UM EFEITO CROMÁTICO (FOTO: DIVULGAÇÃO/CIS)

Famosa por ser uma das cidades mais sustentáveis do planeta, Copenhague tem uma escola que faz do sol uma de suas principais fontes de energia — e de beleza. O edifício da Copenhagen International School, onde estudam crianças e adolescentes, é coberto por nada menos do que 12 mil painéis solares. As placas fornecem aproximadamente 50% da energia consumida na escola e têm uma tecnologia que garante a transparência total do vidro, apesar de a cor, aos olhos de quem vê de fora, ser azulada ou esverdeada. Os tons variam de acordo com a posição de onde se olha o prédio (as placas estão posicionadas em ângulos diferentes).

O edifício também tem função educativa. A escola monitora e registra a quantidade de energia produzida e consumida, informações trabalhadas depois nas aulas de ciências. No telhado, a instituição de ensino cultiva verduras e hortaliças, usadas nas aulas de culinária e no restaurante.

Além de favorecer a entrada de luz natural no ambiente interno e de produzir parte significativa da energia que consome, a Copenhagen International School leva a reciclagem a sério. Todo o lixo orgânico, por exemplo, vai para um tanque especial para, depois, ser usado como comida para gado. Já o papel e o papelão passam por um processo de compressão hidráulica para, em seguida, serem reciclados ou vendidos.

Copenhagen International School  (Foto: Divulgação/CIS)AS PLACAS SOLARES DA ESCOLA FORAM INSTALADAS EM ÂGULOS DIFERENTES, PARA DIMINUIR O REFLEXO DA LUZ SOLAR E, AO MESMO TEMPO, CRIAR UM MOVIMENTO — COMO SE O PRÉDIO ESTIVESSE ‘VIVO’ (FOTO: DIVULGAÇÃO/CIS)

A escola é dinamarquesa, mas seus frequentadores pertencem a 80 nacionalidades diferentes. A ideia do projeto arquitetônico foi, além de unir os estudantes (que ficavam em duas unidades separadas), criar um espaço que transmitisse um senso de comunidade a estudantes e pais. Inaugurado no ano passado, o edifício está localizado em Nordhavn, antiga zona industrial portuária de Copenhague.

FONTE – epocanegocios.globo.com