,

Em São Paulo, governador apresenta projeto de miniusinas de energia solar a investidores

O governador Wellington Dias cumpriu agenda nesta quarta-feira (5), em São Paulo, e apresentou a empresários e possíveis investidores o projeto de Parceria Público-Privada para a implantação, operação e gestão de miniusinas de produção de energia fotovoltaica. A proposta é que o estado produza a sua própria energia e a lance na rede de distribuição para que seja compensada com o consumo pelos órgãos do governo, o que representa uma economia inicial de 14%.

O projeto foi apresentado durante a 4ª edição do Infra Brazil GRI 2018, evento que reúne membros do GRI Club, líderes do mercado de infraestrutura, autoridades governamentais técnicas e representantes do governo federal para debater os rumos do setor no país. Dias destacou que a atuação do GRI é uma ajuda fundamental para o processo licitatório. “Participar desse momento aqui no GRI Club é importante pela capacidade de articulação com as empresas que manifestam interesse nesse projeto. Com certeza ele serve para o desenvolvimento e fortalecimento do setor de energia limpa do nosso Estado”, afirmou.

“Nesse evento, nós deixamos um espaço reservado para falar, especificamente, sobre o projeto das miniusinas. A ideia foi atrair empresas especialistas na geração de energia solar e que elas pudessem conhecer como está estruturada a primeira PPP de implantação, operação e manutenção de miniusinas de energia solar fotovoltaica do país. Essas oito miniusinas juntas vão ser capazes de gerar energia e tornar o Estado autossuficiente com relação à sua própria demanda de energia com economia de despesa pública”, explicou a superintendente de Parcerias e Concessões, Viviane Moura, que acompanhou o governador.

A ideia do road show é atrair empresas especializadas que trabalham com geração, principalmente de energia solar, para que possam tomar conhecimento de como está sendo estruturado o projeto da primeira PPP de miniusinas do país. “Elas são capazes de fornecer a energia demandada pelo estado e torná-lo autossuficiente nessa área, inclusive com economia de despesa pública. Atualmente são gastos R$ 3,8 milhões por mês com energia elétrica. Com as miniusinas, o estado deve economizar cerca de R$ 580 mil por mês, quase R$ 7 milhões por ano”, destacou Wellington Dias.

O projeto prevê a construção de oito sistemas independentes com capacidade de 5 megawatts cada, em áreas do estado situadas nos municípios de Caraúbas, Miguel Alves, José de Freitas, Piracuruca, Cabeceiras e Canto do Buriti. A escolha dessas cidades se deu baseada em critérios estabelecidos a partir de estudos de viabilidade. Entre os benefícios para essas regiões, destaca-se a qualificação profissional para a população; geração de emprego e renda; sustentabilidade ambiental e benefícios sociais para as comunidades afetadas.

Além da apresentação do projeto de miniusinas, Wellington Dias também apresentou o programa de PPPs e mostrou a carteira do estado, composta de 26 projetos, sendo que sete estão em execução. “É uma carteira arrojada e que quando for totalmente implementada irá significar a injeção na economia de recursos do setor privado equivalente a quase R$ 8 bilhões. Sair do Piauí para fazer abordagens de mercado em outros estados é muito importante para que ampliemos o leque de participantes, a competitividade e a melhoria dos nossos projetos”, explicou Viviane Moura.

FONTE – cidadeverde.com