,

Energia solar cresce até 1.000% ao ano na zona rural

Fazenda no município de João Dourado, localizada há 448 quilômetros de Salvador, é uma das que utilizam energia solar (Foto: Divulgação)

Sistema ganha cada vez mais adesão nas fazendas que chegam a economizar 60% na conta de energia

O mesmo sol que seca a terra, nunca gerou tanta energia na zona rural da Bahia como agora. Empresas que trabalham com a implantação  já começam a se especializar em fazendas e chegam a registrar um crescimento de 1.000% ao ano.

É o caso da Iresol Energia Solar. De acordo com diretor comercial Belarmino de Castro Dourado, no ano de implantação do negócio eram instalados de 2 a 4 kits por mês. Atualmente são até 30 sistemas básicos de auto geração por mês.

“O setor agrícola está despertando para o sol, que é o grande parceiro do homem do campo. Em muitos casos a energia elétrica chega a representar até 30% do custo de produção. Com energia solar ele pode até zerar a conta”, destaca Belarmino.

A empresa fica em Irecê, onde o alto índice de radiação solar também tem incentivado a adesão ao sistema fotovoltaico na região de Irecê, área que chega a registrar cerca de 11 horas de sol intenso por dia, na maior parte do ano.

Um kit básico de energia solar, com seis painéis, tubulações, conexões e bomba de captação, custa atualmente cerca de 15 mil reais e tem vida útil de 25 anos. Esta é a estrutura básica suficiente para captar água de um poço artesiano.

“Este investimento permite retorno em até 2 anos, com a tarifa que se tem hoje. Depois de um estudo de viabilidade, se pode abater da conta entre 360 a 1.200 quilowatts. E se o agricultor troca pelo diesel, que é um combustível poluente, ainda beneficia o meio ambiente”, completa.

Sustentabilidade

Na Fazenda Lagoinha, no município de João Dourado, no centro norte da Bahia, são os 24 painéis solares que mantem as três bombas de captação de água funcionando. O sistema permite a retirada de água do poço e o abastecimento dos reservatórios, usados para irrigar as plantações de cebola e milho.

O produtor rural Paulo Dourado implantou o sistema em 2017. De lá para cá, ele desliga a energia elétrica durante o dia e usa apenas o sistema solar. Com o sistema já deixou de gastar mais de 60 mil reais com a conta de luz. A economia chega a 60%.

FONTE – correio24horas.com.br