,

Energia Solar: Fecam apoia projeto Municípios Solares em Santa Catarina

Economia pode chegar a 90% com a produção de energia solar - Foto: pixabay.com

Diminuir a conta de luz ao investir em energia solar – uma fonte limpa que tem ganhado importância no mundo – é o objetivo do projeto Municípios Solares, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas da América Latina (IDEAL) com o apoio da Federação Catarinense de Municípios (Fecam).

Nesta quarta-feira (08), foi assinado um Termo de Cooperação entre as instituições durante a Assembleia de Prefeitos e Prefeitas na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Estão programados encontros em seis regiões do Estado para apresentar a ideia.

O presidente do Instituo IDEAL, Mauro Passos, acredita que o Municípios Solares tem tudo para dar certo.

“Os prefeitos estarão tirando despesas do município e incorporando um equipamento ao patrimônio público”, afirma Mauro Passos.

A ideia inicial surgiu em Imbituba, no litoral Sul de Santa Catarina. Em 2017, Mauro Passos sugeriu ao prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior que fossem instalados painéis solares nos telhados de um colégio que passava por uma reforma.

Como o local é amplo e possui uma ótima insolação, comportaria um equipamento que pudesse produzir grande parte da energia do município e não apenas da escola. O projeto está em fase de estudos.

A Fecam passou a apoiar o projeto neste ano, após o Congresso de Prefeitos 2018. Em fase de reposicionamento estratégico, a Federação está buscando cumprir seu papel social e de apoio aos municípios por intermédio de dois eixos de ação: gestão eficiente e cidades inteligentes.

“O objetivo é ajudar a melhorar a gestão pública municipal e a difundir metodologias inteligentes e, também, na construção de cidades que acompanhem as tendências de inovação em benefício da população”, afirma Rui Braun, diretor executivo da Fecam.

A primeira fase do projeto é mostrar a importância e a viabilidade de investir na energia solar. Inicialmente, serão realizados encontros em seis regiões do estado.

Passo seguinte, as prefeituras interessadas deverão procurar o Instituto IDEAL e a Fecam para dar início aos estudos e definir custos e locais de instalação da usina solar.

“É importante frisar que os painéis solares podem ser instalados na cobertura de uma escola, de um ginásio, de áreas esportivas, do prédio da prefeitura ou até mesmo em um terreno baldio”, afirma Mauro Passos.

FONTE – ocp.news