,

Posto de saúde em Santa Cruz do Sul terá energia solar e horta com ervas medicinais

Unidade também terá sistema para reaproveitar a água da chuva para sanitários e rega

Reprodução / Santa Cruz do SulIlustração revela como deve ficar o novo postoReprodução / Santa Cruz do Sul

Um tipo de unidade de bem diferente do convencional deve começar a ser construído neste ano em Santa Cruz do Sul, na região do Vale do Rio Pardo. A prefeitura da cidade lançará na próxima semana uma licitação para contratar a empresa que erguerá uma Unidade de Saúde com placa de captação de energia solar, sistema para reaproveitar a água da chuva e uma horta com ervas medicinais que poderão ser colhidas pela população como alternativa a medicamentos.

A unidade substituirá o atual posto da Estratégia Saúde da Família (ESF) no bairro Pedreira, que funciona em um prédio alugado e realiza cerca de 2,1 mil atendimento por mês. A previsão é de que a nova ESF comece a ser construída em novembro deste ano, e a inauguração deve ocorrer em junho ou julho de 2020. O orçamento para a unidade é de R$ 1 milhão, valor levantado via financiamento junto à Caixa Econômica Federal.

—Nosso objetivo é oferecer um atendimento mais humanizado e que respeite o meio-ambiente — explica  o secretário municipal de Saúde, Régis de Oliveira Júnior.

Para o funcionamento das lâmpadas de led e de aparelhos elétricos, será instalado um sistema para captação de energia solar, com placas fotovoltaicas que vão garantir boa parte da energia consumida no local com economia aos cofres públicos. O projeto também contempla espaços bem ventilados, com janelas amplas para melhor aproveitamento da luz natural.  A expectativa é de uma redução de 70% em conta de luz em relação a sistemas convencionais de energia e iluminação.

Um sistema para coleta e armazenagem de água da chuva, com a instalação
de cisternas, vai permitir a utilização de recursos hídricos não-potáveis nas descargas dos vasos sanitários e para regar os canteiros e horta da unidade. A prefeitura ainda não contabilizou qual será a economia com água.

Outra iniciativa sustentável do novo posto de atendimento é a implantação de uma horta para cultivo de ervas medicinais. Os pacientes poderão colher as ervas, inclusive com orientação dos médicos do posto de quais remédios podem ser substituídos pelos chás em cada circunstância.

— A prefeitura realizou um curso com um grupo de médicos para orientá-los quando prescrever o consumo de alguma erva ou chá em vez de medicamentos — complementa Oliveira Júnior.

A ideia da horta já é adotada em outra unidade de saúde da cidade, na ESF Boa Vista, em um distrito de Santa Cruz. Plantas como babosa, boldo, citronela (para fazer repelente), erava cidreira, calêndula, funcho e poejo são as mais buscadas pelos usuários.

Para a manutenção, a ideia é instalar uma composteira para produção de adubo orgânico a partir de insumos da própria unidade. A prefeitura também pretende construir outra ESF no bairro Ana Nery para beneficiar cerca de 3,8 mil pessoas.

Tecnologia nas paradas

Parte da tecnologia que será trazida para os novos postos de saúde já é utilizada em Santa Cruz do Sul em quatro paradas de ônibus, e uma quinta está em construção. As “Superparadas”, como são chamadas, têm película de proteção ultravioleta e placas solares que geram economia no consumo de energia elétrica e mais conforto e segurança aos passageiros.  As estruturas são fechadas com vidros e contam com internet, bebedouro, câmera de segurança, placas solares, ar-condicionado, carregador de celular, acessibilidade e monitores que mostram, em tempo real, os itinerários.

Equipado com câmeras conectadas ao Centro de Videomonitoramento da Brigada Militar, Guarda Municipal e Fiscalização de Trânsito, o ponto também conta com tomadas e monitores para acompanhamento em tempo real das linhas de ônibus — com indicação do horário de chegada de cada uma.

FONTE – gauchazh.clicrbs.com.br