,

Primeiro marketplace de energia solar do Brasil busca investidor-anjo por meio de leilão inédito

Uma startup reuniu especialistas em negócios ambientais e em marketing digital para criar o primeiro marketplace de energia solar do Brasil. A plataforma facilitará o encontro entre instaladores de energia solar e consumidores interessados em economizar na conta de luz. Mas para o negócio decolar, a startup busca investidores-anjo por meio de um leilão inédito no país. Comandado pelo leiloeiro público Helcio Kronberg, o pregão ocorre no dia 31 de julho, totalmente online, e o lance inicial é de R$ 216 mil, valor que pode ser parcelado em 12 vezes. O dinheiro será usado para cobrir custos de desenvolvimento e marketing.

De acordo com o leiloeiro público Helcio Kronberg, a forma de participação do investidor na sociedade vai ser definida em parceria com um escritório de advocacia especializado em direito comercial, seguindo as regras da participação e valores acertados em leilão. “Pode ser uma sociedade em conta de participação, de proposta específica, adquirir cotas sociais ou até que a empresa formalize a pessoa jurídica”, explica.

Em vigor desde o início de 2017, a lei do investimento anjo estabelece regras para a modalidade. A principal delas é que o investidor não se torna sócio da empresa investida, sendo assim uma forma de proteger a startup, que não fica obrigada às ingerências externas, e o investidor que não pode ser responsabilizado em caso de dívidas ou falência, por exemplo.

Para participar do leilão basta fazer um cadastro prévio no site do leiloeiro (www.hkleiloes.com.br)  e dar o lance. O resultado deverá ser acompanhado no dia 31 de julho, a partir das 10h. Todas as dúvidas podem ser sanadas pelo telefone (41) 3233-1077 ou pelo e-mail contato@hkleiloes.com.br.

Iniciativa inédita

Para aproximar empreendedores e financiadores, Kronberg criou a modalidade de leilão de startups, em que empresas ou pessoas interessadas em encontrar investidores-anjo poderão gravar vídeos de até 20 minutos em estúdios equipados, inseri-los no site e definir o valor mínimo de venda da participação societária. Como em um leilão tradicional, os investidores poderão dar seus lances e “brigar” pelo melhor projeto. O empreendedor que não são souber montar um plano de negócios ou precisar de uma revisão poderá contar gratuitamente com especialistas em contabilidade, questões societárias e fusões.

“A iniciativa surgiu depois de perceber que muitas pessoas carregam uma boa ideia, mas não sabem ou não estão preparadas para montar um business plan básico. Então, além de prestar toda a assessoria financeira, também faremos um leilão para promover uma injeção de capital na startup”, explica.

FONTE – ecommercenews.com.br