Posts

,

Brasil alcança marca histórica de 250 MW de potência, em energia solar fotovoltaica

O Brasil acaba de atingir o registro histórico de 250 megawatts (MW) de potência de energia solar fotovoltaica com instalações de sistemas de microgeração e minigeração compartilhada em locais como: casas, empresas, comércios, prédios públicos e até mesmo em zonas rurais. A informação foi transmitida pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Uma análise desenvolvida pela ABSOLAR mostrou que a energia solar fotovoltaica, ou seja, a transformação direta de raios solares em energia elétrica renovável, sustentável e limpa, está na liderança do segmento de microgeração e minigeração compartilhada, com mais de 99,3% das instalações do País.

Na publicação da ABSOLAR, também foram divulgados dados que mostram os números de sistemas instalados, sendo, no topo da lista: (77,4%) representado por clientes residenciais. Logo em seguida, (16%) por empresas dos setores de comércio e serviços, (3,2%) clientes rurais, (2,4%) indústrias, (0,8%) poder público e outros tipos, como serviços públicos (0,2%) e iluminação pública (0,03%).

Os consumidores dos setores de comércio e serviços comandam o uso da energia solar fotovoltaica, em potência, com 42,8% das instalações no País, seguido por clientes residenciais (39,1%), indústrias (8,1%), clientes rurais (5,6%), poder público (3,7%) e outros tipos, como serviços públicos (0,6%). De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, o Brasil possui, até o momento, 27.803 sistemas solares ligados à rede. Com isso, a fonte solar leva economia e sustentabilidade ambiental a 32.924 consumidores, totalizando mais de R$ 1,9 bilhões em aplicações desde o ano de 2012, distribuídos por todo o território do Brasil.

Pesquisas apontam 10 estados brasileiros com as maiores potências instaladas: 1º Minas Gerais – 35.499,60 kW; 2º Ceará – 20.619,47 kW; 3º Rio Grande do Sul – 19.285,79 kW; 4º São Paulo – 16.845,69 kW; 5º Rio de Janeiro – 12.680,80 kW; 6º Santa Catarina – 9.895,65 kW; 7º Paraná – 8.363,13 kW; 8º Mato Grosso – 6.855,06 kW; 9º Pernambuco – 4.539,57 kW; 10º Goiás – 3.938,30 kW.

No início deste ano, foi divulgado que o Brasil superou a marca registrada de 1 gigawatt de potência máxima instalada em geração de energia solar. A partir deste fato, o Brasil passou a fazer parte do grupo dos 30 principais países que mais utilizam a energia solar fotovoltaica em sua matriz energética. O Brasil vem crescendo muito em comparação aos outros países em desenvolvimento e investimento de energia solar.

Até junho de 2018, dados mostraram que o setor de energia solar no Brasil possuía 30.686 sistemas fotovoltaicos instalados que, junto às usinas solares, totalizavam 1,5 GW de capacidade instalada. As estatísticas da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) estimam que até o ano de 2024 mais de 1 milhão de consumidores devem passar a gerar a própria energia.

O projeto da ANEEL para um futuro próximo é ter um crescimento de 800% no número de novas conexões de geração distribuída, somando todas as fontes renováveis de energia, como a solar, biomassa, eólica e hidráulica. Para saber mais sobre energia solar, financiamento para energia solar, placa solar e painel solar, acesse o Portal Solar.

FONTE – exame.abril.com.br

,

Energia solar fotovoltaica atinge marca histórica de 250 MW no Brasil

O Brasil atingiu recentemente a marca histórica de 250 megawatts (MW) de potência instalada em sistemas de microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica em residências, comércios, indústrias, edifícios públicos e na zona rural.

A informação foi divulgada na tarde de segunda-feira (13/5) pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Em números de sistemas instalados, os consumidores residenciais estão no topo da lista da microgeração distribuída, representando 77,4% do total. Em seguida, aparecem as empresas dos setores de Comércio e Serviços (16%), consumidores rurais (3,2%), indústrias (2,4%), poder público (0,8%) e outros tipos, como serviços públicos (0,2%) e iluminação pública (0,03%).

Em potência, os consumidores dos setores de comércio e serviços lideram o uso da energia solar fotovoltaica, com 42,8% da potência instalada no País, seguidos de perto por consumidores residenciais (39,1%), indústrias (8,1%), consumidores rurais (5,6%), poder público (3,7%) e outros tipos, como iluminação pública (0,03%), e serviços públicos (0,6%).

Ainda de acordo com a Absolar, o Brasil possui hoje 27.803 sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia e sustentabilidade ambiental a 32.924 unidades consumidoras, somando mais de R$ 1,9 bilhões em investimentos acumulados desde 2012, distribuídos ao redor de todas as regiões do País.

Otimismo

O presidente-executivo da Absolar, Rodrigo Sauaia, comemorou o resultado recém-anunciado.

“Celebramos com otimismo este passo histórico para a fonte solar fotovoltaica no Brasil, com a certeza de que teremos um forte crescimento do setor nos próximos anos e décadas. O Brasil possui mais de 82 milhões de unidades consumidoras e um interesse crescente da população, das empresas e também dos gestores públicos em aproveitar seus telhados, fachadas e estacionamentos para gerar energia renovável localmente, economizando dinheiro e contribuindo na prática para a construção de um país mais sustentável e com mais empregos renováveis locais e qualificados”.

Sauaia ressalta que o crescimento da microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica é impulsionado por três fatores principais: a forte redução de mais de 75% no preço da energia solar fotovoltaica ao longo da última década; o forte aumento nas tarifas de energia elétrica dos consumidores brasileiros, que saltaram em média 499% desde 2012, segundo dados do Ministério de Minas e Energia; e o aumento no protagonismo e na consciência e responsabilidade socioambiental dos consumidores, cada vez mais dispostos a economizar dinheiro ajudando, simultaneamente, a preservação do meio ambiente.

Ranking

Para acompanhar de perto a evolução da microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica nos estados brasileiros, a entidade desenvolveu um Ranking Nacional Solar Fotovoltaico, que compara as potências instaladas em cada unidade da Federação.

Atualmente, o Estado de Minas Gerais lidera o ranking nacional, com 22,9% da potência instalada no País, seguido pelo Rio Grande do Sul (13,9%), São Paulo (13,5%), Ceará (5,9%) e Santa Catarina (5,9%). A Bahia aparece na 11ª colocação, com 6 MW de potência instalada (2,38%).

FONTE – ambienteenergia.com.br