Posts

,

Energia solar já é usada por mais de 30 mil residências e empresas do país

Instalação de placas solares tem aumentado. Setor de pequenas indústrias foi um dos primeiros a investir em usinas geradoras de energia fotovoltaica.

Energia solar já é usada por mais de 30 mil residências e empresas do paísVeja o vídeo

Mais de 30 mil casas e empresas brasileiras produzem toda a energia de que precisam. Elas usam placas solares.

Uma fábrica de roupas em Salvador gastava R$ 3.500 por mês com energia elétrica, um peso no orçamento. Desde que a empresa passou a gerar a própria energia com painéis solares, esse custo despencou para R$ 70, que é a taxa mínima de consumo em Salvador. Em quatro anos, o investimento de R$ 150 mil no sistema foi recuperado.

“A fábrica se torna mais competitiva, visto que a gente tem um custo menor com relação ao concorrente. Então, naturalmente vale a pena”, diz o dono da fábrica, Hari Hartman.

As pequenas indústrias foram um dos primeiros setores a investir na geração própria de energia com luz solar no Brasil. Hoje, vários outros segmentos estão buscando essa autossuficiência.

Um colégio particular de Salvador começou o ano letivo de 2018 sem depender mais do fornecimento externo: agora 126 painéis solares agora produzem toda a energia de que a escola precisa. Iluminação, ar-condicionado das salas, bebedouros. Tudo que antes gerava um gasto de R$ 3.200 por mês, praticamente não dá mais despesas.

O Brasil tem hoje mais de 30 mil usinas geradoras de energia fotovoltaica, como são chamadas essas empresas, escolas e casas que usam energia solar e estão interligadas às redes.

O consultor em eficiência energética Pablo Miranda diz que o investimento, que é de, no mínimo, R$ 10 mil para residências e R$ 50 mil para pequenas empresas, compensa porque o consumidor se livra das variações nas tarifas de energia e os equipamentos têm vida longa: “Nós temos uma garantia de produção aí, na maioria das placas, de 25 anos. Daqui a 25 anos, se as placas não estiverem gerando pelo menos 80% do que você contratou agora, você está garantido”.

O empresário Pedro Rocha decidiu instalar o sistema na casa dele não só para economizar na conta de luz: “Como é um investimento alto, às vezes você tem aquela dúvida: vou investir agora? Não vou, tenho outras necessidades. E aí vem a parte ambiental, que te dá aquele maior incentivo para fazer o investimento”.

FONTE – g1.globo.com

,

Seguro paramétrico de índices climáticos contribui na gestão financeira de empresas de energia solar

Seguro paramétrico de índices climáticos contribui na gestão financeira de empresas de energia solar

Ferramenta promove uma maior estabilidade do fluxo de caixa, minimiza o risco de crédito e reduz a volatilidade nos resultados

O setor de energia solar já trabalha com muitas ferramentas tecnológicas no Brasil, mas por mais sofisticados que sejam os estudos e previsões meteorológicas, não é possível estimar de forma precisa o volume final da produção, que é muito dependente das variações climáticas. Para falar sobre esse tema, a Swiss Re Corporate Solutions promoveu o workshop “Como Mitigar o Impacto dos Efeitos Climáticos na Geração de Energia Solar” durante o evento “Brasil Solar Power 2018”, realizado no Rio de Janeiro, na última semana.

De acordo com Elaine Fridman, especialista em soluções de seguros paramétricos da Swiss Re Corporate Solutions e representante da companhia no workshop, nos próximos dez anos a matriz elétrica brasileira apresentará um aumento da participação de fontes renováveis, com destaque para fontes solar e eólica. Considerando esse possível cenário, Elaine explicou como o seguro paramétrico de índice climático pode contribuir na gestão financeira de empresas de energia solar, uma vez que o produto visa proteger o fluxo de caixa de empresas contra eventos climáticos adversos. No caso do setor de energia solar, o seguro compensa o gerador pela queda de receita em função de um menor volume de energia provocado por baixa irradiação solar, por exemplo.

O seguro paramétrico de índice climático é customizado de acordo com a necessidade específica do cliente. São definidos índices, gatilhos e prazos de cobertura em comum acordo entre o cliente e a seguradora. Assim como a contratação, a indenização é realizada por meio de uma apuração simples. A seguradora e o cliente apuram o resultado do índice através de consulta à base pública e, se constatado sinistro, o cliente é indenizado conforme estipulado na apólice.

A Swiss Re Corporate Solutions é maior provedora de proteção climática do mundo, com uma importante trajetória em inovação de produtos em mais de 20 países. Com o seguro paramétrico de índices climáticos, a seguradora trabalha há mais de 10 anos nos EUA e Europa e foi a primeira companhia a oferecer esse produto no Brasil, em 2016.

Sobre a Swiss Re Corporate Solutions Brasil

A Swiss Re Corporate Solutions Brasil é uma seguradora controlada pela Swiss Re Corporate Solutions Ltd. e tem o respaldo da força financeira e da experiência do Grupo Swiss Re. Em julho de 2017, em um movimento que marcou a indústria de seguros, firmou parceria com a Bradesco Seguros, passando a ter acesso exclusivo à sua rede de distribuição e transformando-se em uma das líderes no segmento de grandes riscos do país. A gama de produtos, direcionada a pequenas, médias e grandes empresas, vai desde a transferência de riscos padronizados e programas multilinha, até opções altamente customizadas às necessidades dos clientes, como seguro patrimonial, responsabilidade civil, transportes e cascos marítimos, rural, garantia, engenharia, entre outros. Para mais informações, visite www.corporatesolutions.swissre.com.br ou siga-nos em Twitter@SwissRe_CS.

FONTE – segs.com.br