Posts

,

Primeira usina solar bifacial N da Europa tem êxito na conexão da rede

Primeira usina solar bifacial N da Europa tem êxito na conexão da rede

O anúncio feito pela Cooperation Unisun Energy dizia que o projeto Zonnepark Rilland, de 11,75 MW, que conta com módulos bifaciais tipo N da Jolywood (Taizhou) Solar Technology Co. Ltd, obteve êxito na conexão da rede. Com isso, a usina atinge a marca de maior usina solar de toda a Europa produzida em grande escala com módulos solares bifaciais tipo N.

A Jolywood, líder em desenvolvimento e pesquisa e produtora de células e módulos solares bifaciais tipo N, fez um acordo com a Unisun em setembro de 2018. Foi aí que o projeto Zonnepark Rilland saiu do papel e começou a ser construído em uma área de energia renovável, onde 15 MW de energia eólica também estão sendo produzidos. Essa área desenvolvida pela Cooperation Unisun Energy é um parque solar de 11,75 MW, que contou com a colaboração do proprietário das terras locais. Os 40.000 módulos solares bifaciais de vidro duplo de qualidade premium utilizados no projeto foram fornecidos pela Jolywood.

Segundo a presidente da Unisun Energy Group, a empresa toma muito cuidado e seleciona somente os melhores produtos tecnológicos para seus clientes, foi pela excelência dos produtos da Jolywood que a união fluiu tão bem.  A exclusiva tecnologia tipo N de alta eficiência e a estratégia da Jolywood estão alinhadas com a visão da Unisun e, dessa forma, o projeto de confiança teve grande êxito.

Baseadas neste projeto atual, a Unisun e a Jolywood irão continuar com a parceria para execução de mais projetos de energia solar na Europa. A meta é atingir 200 MW de 2019 até 2020. O próximo projeto poderá ser holandês, de 23 MW, onde uma usina solar em grande escala, de 16 MW, será construída ao longo da pista do Aeroporto de Rotterdam. Nas proximidades, também será feita uma garagem de 7 MW.

O presidente da Jolywood Group afirmou que tudo ocorreu muito rápido, desde a compra dos módulos até a construção da usina foram apenas quatro meses. A administração e as operações são organizadas e eficientes. O presidente acredita que unir seus valores com a experiência e trabalho excepcional da Unisun pode resultar em soluções de usinas de energia solar mais potentes e funcionais.

A empresa Jolywood (Taizhou) Solar Technology, atualmente, é líder da indústria solar mundial, possui 2,4 GW de capacidade de fabricação de células solares bifaciais mono tipo N. Saiba mais sobre o painel solar fotovoltaico bifacial que produz energia dos dois lados. Vemos assim que a energia solar está se espalhando pelo mundo com tecnologias cada vez mais avançadas!

Atualmente, a usina de energia solar flutuante mais potente do mundo fica no Japão. Podemos ver o quanto a energia solar é importante e eficiente! Por isso, nós, do Portal Solar, promovemos o uso da energia solar fotovoltaica no Brasil, conheça também o financiamento para energia solar. Se estiver interessado em produzir sua própria energia, podemos te ajudar indicando os melhores fornecedores de painel solar e placa solar.

FONTE – portalsolar.com.br

,

Fronius registra crescimento de 100% nos negócios com energia solar no Brasil

Fronius registra crescimento de 100% nos negócios com energia solar no Brasil

Resultado coloca a empresa entre as grandes líderes em tecnologia e soluções e amplia a aposta no crescimento do mercado brasileiro de geração distribuída

A subsidiária brasileira da multinacional austríaca Fronius, com fábrica instalada na cidade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, registrou um crescimento de cerca de 100% nas vendas de equipamentos e sistemas para setor de energia solar no País em 2018.

O resultado coloca a empresa entre as grandes líderes em tecnologia e soluções de energia solar no Brasil e amplia a aposta no crescimento do mercado brasileiro de geração solar distribuída e de empreendimentos fotovoltaicos. A organização tem investido constantemente para reforçar ainda mais a atuação no território brasileiro, com a ampliação da carteira de distribuição, aperfeiçoamento da logística e criação de novos departamentos, entre outros.

“Acreditamos na retomada da economia e estamos investindo fortemente em novos produtos, conceitos e em capital humano”, ressalta o novo gerente da Unidade de Negócios de Energia Fotovoltaica da Fronius, Alexandre Borin. “Só para se ter uma ideia deste mercado, estudos recentes realizados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) relatam que, só no Brasil, são mais de 50,7 milhões de residências que podem ser cobertas por placas fotovoltaicas”, acrescenta.

A Fronius possui cerca de de 30% do market share brasileiro e é uma das empresas com maior capilaridade em inversores fotovoltaicos. “Isto demonstra que os consumidores confiam em nosso produto. Somos uma empresa de alta tecnologia, além de oferecermos suporte técnico e solidez no mercado em que atuamos”, ressalta Borin.

Uma das grandes apostas da Fronius para este ano é o Symo Brasil, com potência de 10kw e certificação do Inmetro, que já possui um transformador trifásico e dispensa a instalação de um transformador externo para se conectar à rede de três fases.

Além de reduzir custos com a instalação, o novo equipamento traz um ganho de qualidade nos componentes, como o resfriamento ativo e o processo de substituição de placas Fronius. O Symo Brasil está disponível nas versões 10, 12 e 15kw.

Outra solução desenvolvida pela empresa para atender o mercado fotovoltaico brasileiro é o inversor ultramoderno ECO, uma das unidades da linha SnapINverter, com potência de captação de energia em torno de 1,5 a 27 kw. O equipamento possui instalação rápida e simples, além de dispensar a instalação do transformador tanto em áreas internas como externas. É indicado para residências, edifícios públicos, armazéns e complexos industriais.

FONTE – portalsolar.com.br

,

Projeto da Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo terá energia solar

Projeto da Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo terá energia solar

Objetivo é utilizar a tecnologia fotovoltaica nos escritórios do empreendimento

O anúncio do projeto de uma ferrovia, que pretende ligar a cidade de São Mateus (ES) a Sete Lagoas (MG), está sendo muito comemorado. Isso porque a construção deve gerar mais de 3 mil empregos em Minas Gerais e aproximadamente mais mil no Espírito Santo, com investimento de R$ 6,5 bilhões.

O projeto da Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo (EFMES) foi apresentado pela empresa Petrocity, responsável pela nova linha, que é 100% privatizada, bem como pelo governo do Espírito Santo. O objetivo é que a EFMES utilize tecnologia de ponta, com vagões e locomotivas com energia solar e elétrica nos escritórios do empreendimento. Além disso, os trens devem ser equipados com monitoramento remoto e piloto automático.

A proposta para a Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo também foi protocolada junto à Empresa de Planejamento e Logística, ligada à Presidência da República e responsável pelo Plano Nacional de Logística (PNL).

Segundo o presidente da Petrocity, José Roberto Barbosa da Silva, a inclusão do empreendimento no PNL tem como intuito solicitar as autorizações para a construção da ferrovia até o licenciamento ambiental. “Por ser um investimento 100% privado, o que precisamos do governo é a concessão e as autorizações, incluindo o licenciamento ambiental”, afirma.

A previsão é que a EFMES comece a ser construída em 2021, com finalização prevista para 2025. A ferrovia também está ligada a outro megaempreendimento da Petrocity, o Centro Portuário São Mateus (CPSM), que terá investimento de R$ 3,1 bilhões e cujas obras deverão começar ainda em 2019.

A nova ferrovia terá 553 km, com cinco Unidades de Transbordo e Armazenagem de Cargas (Utacs) em Barra de São Francisco (ES) e nos municípios mineiros de Governador Valadares, Itabira, Confins e Sete Lagoas. A previsão é que estas unidades tenham um investimento de R$ 56 milhões cada, com área de 200 mil m². “Fizemos um estudo minucioso por causa do centro portuário e identificamos a necessidade de escoamento da produção de indústrias no norte do Espírito Santo, no interior de Minas, como Vale do Jequitinhonha e Mucuri, e no Sul da Bahia. Com nova possibilidade de escoamento, podemos aumentar em 40% a produção industrial dessas regiões”, avalia Silva.

O presidente da Petrocity destaca ainda que este projeto deverá usar quatro modais de transporte: aquaviário, ferroviário, rodoviário e aeroviário, com integração ao aeroporto internacional de Confins, na região metropolitana da capital mineira.

No planejamento da EFMES não está previsto o transporte de passageiros, que, de acordo com o presidente da Petrocity, José Roberto Silva, não há impedimento de incluí-lo caso seja verificada a necessidade de atender a esta demanda.

FONTE – portalsolar.com.br

,

Classe comercial é a que mais gera energia solar, em Venâncio Aires

Produzir a própria energia, de forma limpa e, com isso, reduzir o gasto com energia elétrica e ainda agregar a sustentabilidade à marca tem sido prática cada vez mais frequente entre empresas. Os últimos anos marcaram a expansão exponencial do uso de energia fotovoltaica em Venâncio Aires.

Um passeio aéreo pela cidade revela diversos telhados ‘povoados’ por placas que captam a luz do sol e a transformam em energia. Embora as unidades consumidoras residenciais representem a maioria, em Venâncio Aires – são 172 residências que recebem energia gerada por meio de placas fotovoltaicas -, a classe comercial é a que mais gera energia solar: quase 55% da potência instalada no município advém de sistemas de estabelecimentos comerciais, os quais têm 1.761,85 kW.

Empresas de diferentes segmentos têm apostado na geração de energia fotovoltaicaFoto: Cristiano Wildner / Folha do Mate

Empresas de diferentes segmentos têm apostado na geração de energia fotovoltaica

A realidade de Venâncio Aires vai ao encontro da do país, na qual a classe residencial se destaca com número de sistemas de energia solar fotovoltaica instalados, mas a maior quantidade de energia é produzida pelos estabelecimentos comerciais. Apesar disso, o município supera a média nacional, de 43% da energia solar gerada pela classe comercial. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Investimento

O Supermercado Gollmann, do bairro Santa Tecla, está entre as empresas que aderiram ao uso de energia fotovoltaica. O sistema com 200 módulos de 365 watts começou a ser instalado na metade do ano passado e levou cerca de dois meses para ser concluído.

Segundo o sócio-proprietário Fábio Gollmann, o sistema tem capacidade de geração de aproximadamente 8.500 kW/hora e ainda está prevista a instalação de mais alguns módulos para atender a demanda da loja. ‘Por ser a época de maior incidência solar, o sistema está produzindo bastante energia, desta forma, o único valor pago na conta de energia é da taxa mensal, inferior a R$ 100’, comenta.

De acordo com Gollmann, o que motivou a instalação do sistema é que se trata de um investimento rentável, por meio do qual espera-se recuperar o valor investido em, pelo menos, 4 anos. ‘Após este período o valor a ser economizado com a conta de energia passa a se tornar lucro.’

FONTE – folhadomate.com

,

Itaú Unibanco passa a contar com energia solar em suas unidades de Minas Gerais

Itaú Unibanco finalizou a implementação da primeira fase do projeto de Geração Distribuída de Energia Solar para sua rede de agências, com foco inicial em Minas Gerais. Esta etapa consiste na utilização de uma usina de geração fotovoltaica, para geração e injeção de 2 (dois) megawatts – o suficiente para abastecer cerca de 1.800 casas – na CEMIG, distribuidora de energia do Estado e uma das principais concessionárias do Brasil no setor.

A energia injetada abaterá parte do consumo energético de 200 agências, localizadas em 133 cidades mineiras (cerca de 45% da rede em MG). Entre instituições financeiras brasileiras, o Itaú é pioneiro no uso de energia solar para este tipo de iniciativa, que conta com parceria das empresas GD Solar e Green Yellow.

“Essa ação reforça nosso compromisso com a ecoeficiência de longo prazo para nossas operações e com o meio ambiente e sociedade de maneira geral”, diz Francisco Vieira, Diretor do Itaú Unibanco.

Até 2020, o Itaú Unibanco prevê expandir a iniciativa para outras regiões de Minas Gerais e também para os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Mudanças climáticas

No início deste ano, o Itaú Unibanco revisitou a abordagem para tratar de temas relacionados às mudanças climáticas e lançou seu posicionamento, que vai nortear a atuação da instituição. A iniciativa tem como objetivo estimular a transição para uma economia de baixo carbono e, com isso, influenciar sua cadeia de valor, abrangendo clientes e fornecedores. Contempla também a ampliação, em seus polos e unidades administrativas, do uso de energia proveniente de fontes renováveis.

O novo posicionamento – disponível aqui – traz transparência às ações do banco relativas à agenda de finanças climáticas. Entre as atividades estão a avaliação e a consideração dos riscos e oportunidades para os clientes, os negócios e a sociedade no que tange à mudança do clima. O posicionamento segue as recomendações do Finantial Stability Board (FSB), por meio do documento “Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD)”, bem como as metas de um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), de número 13, que visa às ações contra a mudança do clima.

“Entendemos a relevância que o tema mudanças climáticas tem globalmente, além do seu impacto em toda a sociedade. Enquanto instituição financeira, nos relacionamos com todos os setores produtivos da economia e, assim, acreditamos ter potencial para influenciar transformações positivas na sociedade e fomentar uma economia de baixo carbono”, afirma Denise Hills, Consultora Chefe de Sustentabilidade do Itaú Unibanco.

FONTE – brr.advfn.com

,

Está aberta a Consulta Pública da primeira PPP de energia solar do Brasil

O Piauí está desenvolvendo a primeira Parceria Público Privada – PPP – voltada à implantação, operação, manutenção e gestão de miniusinas de geração de energia fotovoltaica.

A iniciativa que foi lançada no final do ano passado pela Superintendência de Parcerias e Concessões – SUPARC e agora está sob Consulta Pública para prospecção de potenciais investidores até 22 de fevereiro de 2019.

A consulta também objetiva a coleta de manifestações sobre os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental do projeto, que estão disponíveis aos interessados no site www.ppp.pi.gov.br.

O projeto envolve a implantação de 8 sistemas de minigeração fotovoltaica, a partir dos quais pretendem-se gerar 80% da energia consumida pelo poder público estadual.

A área de Energia Elétrica de Veirano Advogados tem profundo expertise no setor elétrico brasileiro e em sua regulação para lhe ajudar com o desenvolvimento e demais questões de PPPs e projetos de geração de energia solar.

FONTE – opetroleo.com.br

,

Planta de dessalinização em Dubai será movida a energia solar

Planta de dessalinização em Dubai será movida a energia solar

Prevista para ser inaugurada em 2024, empreendimento terá capacidade para produzir 2,1 bilhões de litros de água potável por dia.

A cidade de Dubai, nos Emirados Árabes, acaba de anunciar a construção de uma usina de dessalinização de água na região do Golfo Pérsico. A novidade do projeto é o uso da energia solar fotovoltaica para abastecer as operações do empreendimento.

Prevista para ser inaugurada em 2024, a planta de dessalinização usará como base a tecnologia de osmose reversa e terá capacidade para produzir 2,1 bilhões de litros de água potável por dia. A instalação solar a ser utilizada no empreendimento contará com sistemas de baterias para armazenar a energia que produz, o que possibilitará o funcionamento da usina também no período noturno.

No total, a planta fotovoltaica terá capacidade de cerca de 10 mil megawatts, fruto de mais de R$ 40 bilhões em investimentos no modelo público-privado, e vai abastecer grande parte da demanda energética do país.

A intenção da Autoridade de Água e Eletricidade de Dubai com este projeto é diversificar a matriz elétrica à partir do incremento das fontes renováveis em empreendimentos públicos de infraestrutura, sobretudo para o fornecimento de água potável para uma população que está em franco crescimento.

Em declarações à imprensa, Saeed Mohammed Al Tayer, gestor da Autoridade de Água e Eletricidade de Dubai, disse que os Emirados Árabes investem na diversificação da matriz elétrica, justamente para reduzir a necessidade de queima de combustíveis fósseis, e, desta forma, aumentar a a oferta de água potável à população.”

O projeto de dessalinização prevê ainda a construção de um novo reservatório para armazenar até 27 bilhões de litros de água, ante os 3,18 bilhões de litros armazenados atualmente.

Até então, as empresas de serviços públicos regionais tradicionalmente conectam usinas de energia movidas a gás a grandes unidades dessalinizadoras espalhadas pela costa. Com a energia solar, a proposta é criar uma operação mais sustentável e eficiente e, ao mesmo tempo, reduzir gastos com energia elétrica.

FONTE – portalsolar.com.br

,

Shell compra fabricante alemã de baterias para sistemas de energia solar

A Royal Dutch Shell fechou acordo para comprar a Sonnen, fabricante alemã de baterias para aplicações em energia solar residencial, em uma estratégia para expandir negócios em um momento de transição global para uma economia com menor emissão de carbono.

A Sonnen, que tem 40 mil sistemas de baterias em todo o mundo e em 2017 teve vendas de 65 milhões de euros, é líder no mercado alemão de baterias para uso doméstico e se expandiu para sistemas de carregamento de baterias de veículos elétricos.

A aprovação regulatória e conclusão da transação, envolvendo a Shell New Energies, é esperada para o primeiro trimestre de 2019, disse um porta-voz da Sonnen, sem dar um valor da negociação.

A Alemanha tem 1,5 milhão de sistemas solares instalados cujas vendas subsidiadas devem ser eliminadas nos próximos anos. Ao adquirir baterias, as famílias podem armazenar energia produzida em suas casas e usá-la ou vendê-la à distribuidora de eletricidade.

A Shell, segunda maior petrolífera listada em bolsa do mundo, acelerou o investimento em energia renovável, apostando em um rápido aumento na demanda por eletricidade devido ao uso de veículos elétricos e uma mudança para fontes de energia mais limpas.

Os investidores existentes da Sonnen, incluindo GE Ventures e investidores de capital privado europeus, terão suas participações compradas na operação da Shell.

FONTE – terra.com.br

,

Udesc terá sistema de energia solar

A Quantum Engenharia será a responsável pela obra.

O prédio da reitoria da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), no campus no Itacorubi, em Florianópolis, vai receber sistema de energia solar em 2019.

A Quantum Engenharia será a responsável pela obra, que instalará 156 painéis de 325 Wp. Isso significa uma potência instalada de 50,70 kWp.

O projeto também envolve a substituição de 1,1 mil lâmpadas comuns pelas de tecnologia LED, buscando uma economia de 48% na conta de energia.

A iniciativa é financiada por meio do Programa de Eficiência Energética Aneel Celesc. A previsão é concluir o trabalho em março de 2019.

Com o sistema de energia solar, se o consumo da universidade for menor do que a energia gerada no período, o excedente pode ser entregue à concessionária de energia (Celesc) e utilizado posteriormente em forma de crédito na conta.

A universidade prevê alcançar o retorno do investimento com a economia na conta de luz em até cinco anos.

FONTE – baguete.com.br

,

Painel solar de silício negro começa a ser produzido em escala industrial

Em breve, a tendência dos painéis solares azuis será revolucionada por novos painéis que estão sendo desenvolvidos na Universidade de Aalto, na Finlândia. Os pesquisadores batizaram os painéis solares pretos de célula solar buraco negro. Os primeiros painéis solares de silício negro já estão em funcionamento.

A cor preta não veio para alterar somente a estética dos painéis solares, acontece que o preto vem de nanoestruturas construídas sobre o silício, que impedem que a luz escape. Ou seja, com uma reflexão de luz que incide sobre os painéis solares menor a 1%, ainda garante uma eficiência de aproximadamente 22% na conversão da luz solar em energia. Isso supera os painéis solares com silício tradicional.

Essa nova tecnologia conta com este material de grande potencial, o silício negro tem aplicações que vão da spintrônica aos mantos de invisibilidade termais. Os painéis solares de silício negro não são mais apenas pesquisas de laboratório, pois os primeiros protótipos estão sendo fabricados em uma linha de produção industrial, o que faz com que estejam cada vez mais próximos da comercialização.

A produção em escala industrial está sendo um desafio para os responsáveis, segundo eles, pois a preocupação era que a estrutura frágil não aguentasse a produção em massa que passa por várias fases, algumas consideradas até mesmo críticas para o painel, como, por exemplo, a laminação dos módulos e o manuseio por robôs.

Os painéis solares de silício negro são criados através de uma superfície opticamente perfeita. A técnica consiste em criar nanoagulhas no silício que eliminam a necessidade de colocar qualquer revestimento antirreflexo. A fabricação das nanoestruturas é de alto custo, porém existem menos etapas no processo da produção dos painéis solares, além disso, o desempenho do produto final é excelente! Com isso, os custos compensam.

Ao realizar uma precisa análise no laboratório, foi constatado que os painéis solares negros têm uma eficiência de produção de energia solar acima dos 20%, o que é surpreendentemente bom! Espera-se que os painéis solares de silício negro, quando entrarem no mercado, sejam comercializados a preços atrativos e competitivos em relação aos painéis solares tradicionais.

Muitas inovações estão sendo desenvolvidas no setor da energia solar por todo o mundo. Na Holanda, por exemplo, uma empresa criou telhados que captam a energia solar. No Reino Unido, pesquisadores da Universidade de Cambridge criaram um painel solar de algas que produz 5 vezes mais energia, mesmo durante a noite!  Com o avanço da energia solar, surgem diversas criações de novos modelos de painel solar e placa solar, cada vez mais eficientes e modernos.

Conheça mais sobre a energia solar em nosso site! No Portal Solar, você encontra tudo sobre as vantagens dessa fonte de energia sustentável, bem como curiosidades, informações e tudo que está acontecendo no setor. Veja quais são os 10 maiores fabricantes de painel solar do mundo! Se ficou interessado em gerar sua própria energia, solicite um financiamento para energia solar e te ajudaremos a encontrar as melhores empresas fornecedoras de sistemas solares para sua empresa ou residência.

FONTE – portalsolar.com.br