Família Schuh investe na maior usina solar do município

Placas de energia fotovoltaica estão instaladas em uma área de 3.200 metros quadrados

Placas de energia fotovoltaica estão instaladas em uma área de 3.200 metros quadrados

Uma das maiores usinas solares dos Vales do Rio Pardo e Taquari está em Venâncio Aires e funcionando, não ‘a todo vapor’, mas sim, ‘a todo sol’. Ela está localizada em Linha Barbosa e pertence à família Schuh, tradicional no ramo de padaria há mais de 80 anos. Foi justamente pensando na continuidade dessa história, que os proprietários decidiram investir em algo ainda novo e talvez ignorado por muitos: a geração de energia através de placas fotovoltaicas.

Em uma área de 3.200 metros quadrados, são 840 placas de 340 watts, totalizando 285,6 quilowatts- pico de potência. Se os números são difíceis de entender e explicar, na prática eles significam suprir a demanda de energia de seis locais: a matriz e a filial da padaria em Venâncio Aires, a segunda filial em Lajeado e mais três casas que pertencem aos Schuh.

Durante a inauguração da usina solar, na manhã desta terça-feira, 11, um dos sócios administradores da padaria Schuh, José Pedro Schuh Junior, não revelou os valores do investimento, mas disse que o retorno virá em até quatro anos. ‘Pensamos em trabalhar a questão ecológica, de uma energia limpa, associada à questão econômica. Esse investimento é pensando no futuro, para que a empresa se perpetue e que a família continue unida.’

O prefeito Giovane Wickert participou do ato de inauguração e parabenizou os Schuh pela coragem em investir e empreender. ‘Esse investimento serve de exemplo para outros empreendedores. Às vezes é mais fácil reclamar que o sol está quente, mas a gente precisa pensar que ele nasce para todos e também gera energia.’

A OBRA
Para tirar o projeto do papel, a família Schuh contou com financiamento da Cooperativa Sicredi e a execução da Nettelin Energia Solar e Engenharia, que é de Venâncio Aires. Todo o processo de implantação levou cerca de nove meses, sendo dois para a montagem das placas.

Segundo o diretor técnico da Nettelin, Dyaronan Alves Model, o uso de energia solar já é uma realidade e cresce cada vez mais. ‘Pode parecer um investimento caro no início, mas o retorno virá. É como pensar em antecipar a conta de luz em três anos, mas haverá uma garantia de rendimento de até 25 anos’, explica.

HOMENAGEM
A maior usina solar particular de Venâncio Aires recebeu o nome de José Pedro Schuh, falecido em agosto de 2012. Foi ele que durante anos tocou o negócio iniciado pelo pai Alfredo e pelo tio Arnoldo, ainda na década de 1930, no interior do município. A homenagem a Zé Schuh, dos filhos Junior, Eduardo, Rodrigo e Gustavo e da viúva Neusa foi praticamente em tom de poesia. Na placa em frente à usina, uma alusão ao patriarca e ao sol: ‘A energia que vem do céu, para impulsionar a força desta família.’

COMO FUNCIONA A USINA

– A usina solar é constituída por placas fotovoltaicas à base de silício. Cada placa tem 1×2 metros e tem entre 60 e 72 células com potência de 270 quilowatts a 405 quilowatts.

– As placas captam a luminosidade através das células e transformam a energia contínua, passando pelo inversor, e direciona para a rede elétrica. Na usina, há uma relógio bidirecional, que além de medir o consumo, mede a energia gerada.

– A usina tem capacidade média de produção de 32,5 mil quilowatts hora/mês. No verão, com os dias mais longos, essa média pode ser maior e o ‘crédito’ em energia gerado fica armazenado para ser usado, por exemplo, no inverno ou em dias seguidos de chuva.

FONTE – folhadomate.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *