RODOVIA DE ENERGIA SOLAR É UM FRACASSO NA FRANÇA

A prática pode ser muito diferente da teoria e o governo francês gastou 5 milhões de euros para descobrir isso de maneira bastante decepcionante. Os planos, apresentados em 2016, de construir mil quilômetros de rodovias de energia solar pareciam inovadores e sustentáveis. Pareciam. O primeiro teste realizado com a pavimentação com painéis fotovoltaicos em pouco mais de 1,5 quilômetros na zona rural da Normandia foi um fracasso. O governo acreditava que a rodovia inteira concluída seria capaz de abastecer até 5 milhões de lares. Mas o investimento de 5 milhões de euros neste teste não atendeu às expectativas.

Chamada de Wattway, ela consiste em 2,8 mil painéis fotovoltaicos cobertos com uma resina especial que contém silício para proteger as células do tráfego. Os erros começaram já pelo local de instalação: a região da Normandia, onde os painéis para teste foram instalados, costumam ter apenas 44 dias de sol forte. Além disso, a instalação não foi exatamente caprichada. Os painéis costumam se soltar ou se quebrar em pedaços e, em maio de 2018, 90 metros de estrada tiveram que ser destruídos.

Em um relatório da Global Construction Review consta que não foram levados em consideração os danos causados por tempestades, mofo de folhas e a utilização da estrada por máquinas pesadas como tratores. A quantidade de energia gerada também decepcionou, chegando a apenas metade da meta nos primeiros meses, 150 mil kWh, caindo para 78 mil em 2018 e 38 mil no início de 2019.

Recebida com ceticismo por especialistas, a ideia de estradas de energia solar é considerada cara e ineficiente e não deve voltar a ser testada tão cedo. Para Marc Jediczka, vice-presidente da Rede de Transição de Energia, os elementos técnicos e econômicos do projeto não foram suficientemente compreendidos. “É um absurdo total inovar às custas de soluções que já existem e são muito mais lucrativas, como a energia fotovoltaica nos telhados”, diz. A estrada foi descrita como “degradada e irregular”.

FONTE – megacurioso.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *