Posts

EXCLUSIVO: São Paulo terá em até dois meses sistema de ônibus elétricos com geração própria de energia solar

Mais ônibus elétricos deste padrão vão receber as carrocerias no padrão da SPTrans

Dentro deste prazo, os 15 primeiros veículos devem estar em circulação na cidade. Eletricidade será gerada em fazenda de Araçatuba por meio de energia solar

ADAMO BAZANI

Em até dois meses, o sistema de ônibus da capital paulista terá ao menos 15 veículos movidos à eletricidade gerada a partir de energia solar.

Nesta terça-feira, 16 de outubro de 2018, o prefeito em exercício e presidente da Câmara Municipal, Milton Leite, e secretários da gestão do prefeito Bruno Covas estiveram na planta da empresa BYD, produtora de ônibus elétricos e de placas de energia fotovoltaicas, em Campinas, no Interior de São Paulo.

Entre as autoridades de transportes estavam o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto, e o presidente da SPTrans – São Paulo Transporte, Paulo Cézar Shingai.

Em entrevista exclusiva, por telefone, ao Diário do Transporte, Milton Leite diz que a empresa BYD já comprou em Araçatuba, no interior de São Paulo, uma fazenda onde vai gerar a energia elétrica necessária para os ônibus por meio de placas de captação de luz solar.

Esta energia será disponibilizada ao Operador Nacional do Sistema, o que vai gerar crédito para abater do consumo da cidade de São Paulo.

“É um grande avanço porque há um ciclo completo. A geração de eletricidade é totalmente limpa, por meio da energia solar. O sistema estará livre das oscilações de fornecimento e das bandeiras tarifárias que encarecem a energia. O custo será mais baixo para o transporte coletivo” – garante.

Entre esta e a outra semana, segundo Milton Leite, a Secretaria de Municipal de Mobilidade e Transportes e a SPTrans – São Paulo Transporte vão definir a garagem de uma das empresas do sistema que vão receber estes primeiros 15 ônibus.

Nas garagens, será necessária apenas a estrutura de recarga dos ônibus, que também será fornecida pela BYD.

Também será necessária uma subestação na garagem ligada ao Operador do Sistema, que vai consumir o crédito gerado em Araçatuba.

A subestação ligada ao Sistema Nacional de Energia vai evitar que a garagem fique desabastecida e sofra com oscilações e quedas de energia que possam vir a prejudicar o carregamento das baterias dos ônibus.

CUSTO IGUAL OU MENOR QUE DIESEL:

De acordo com Milton Leite, em contrato, será estipulado que os custos de operação de ônibus elétricos serão iguais ou inferiores ao do diesel.

“Fixamos um limitador. Os custos máximos da locação destas baterias [dos ônibus] que vão ser fornecidas junto com os chassis e as carrocerias não podem ser maiores do que a cidade já gasta com óleo diesel. Vai ser estipulado um teto de acordo com o que já pagamos com o diesel. Assim, os combustíveis fósseis estarão sendo gradativamente eliminados para que tenhamos um transporte sem emissões” – disse.

Em janeiro deste ano, o então prefeito João Doria sancionou a lei 16.802 que estipula novas metas de redução de poluição pelos ônibus municipais.

As reduções de emissões de poluição pelos ônibus de São Paulo devem ser de acordo com o tipo de poluente em prazos de 10 anos e 20 anos

Em 10 anos, as reduções de CO2 (gás carbônico) devem ser de 50% e de 100%, em 20 anos. Já as reduções de MP (materiais particulados) devem ser de 90%, em 10 anos, e de 95%, em 20 anos. As emissões de Óxidos de Nitrogênio devem ser de 80%, em 10 anos, e de 95%, em 20 anos.

As metas devem estar nos editais de licitação do sistema de ônibus da cidade, que estão barrados pelo TCM – Tribunal de Contas do Município.

FONTE – diariodotransporte.com.br

Procura por sistema de energia solar cresce no interior de São Paulo

Em Boituva (SP), comerciantes afirmam que as vendas aumentaram em até 50%. Moradores alegam que sistema ajuda a diminuir os gastos nas contas de energia.

Sistema solar ajuda na economia de energia elétrica — Foto: Reprodução/TV TEMSistema solar ajuda na economia de energia elétrica — Foto: Reprodução/TV TEM

As vendas do sistema de energia solar cresceram em 50% nas lojas de Boituva (SP), segundo os comerciantes. Segundo o proprietário de uma loja, Hudson Henrique Medeiros, desde o ano passado há uma alta procura pelo sistema na cidade.

“Uma casa que hoje tem quatro pessoas economiza uma faixa de R$ 100 por mês só com energia. Então, o custo benefício é muito grande”, afirma.

O sistema tem sido procurado pelos clientes devido à economia na conta de energia. André Maestrello Matos, por exemplo, é construtor e conta que instalou o sistema em sua casa nova.

“Hoje meu custo está reduzido quase pela metade. Em casa, somos em cinco pessoas. Então, são vários banhos e eu senti bastante diferença na minha conta”, afirma.

Ele ainda diz que para manter o sistema de aquecimento em uma família com cinco pessoas é necessário ter pelo menos cinco placas e um reservatório. De acordo com ele, o investimento é de aproximadamente R$ 5 mil, mas faz diferença na conta de energia no final do mês.

Sistema de aquecimento solar é procurado por moradores de Boituva — Foto: Reprodução/TV TEM

Sistema de aquecimento solar é procurado por moradores de Boituva — Foto: Reprodução/TV TEM

Como funciona?

O sistema solar esquenta a água por meio de placas que captam a radiação solar. Com isso, a água esquenta e vai para um reservatório, o que ajuda a diminuir os gastos nas contas de energia.

De acordo com a vendedora Daniele Rodrigues Lopes Moreira, o morador já pode instalar o sistema ainda na construção do imóvel.

“O aquecimento solar pode ser colocado na hora que a pessoa está construindo. Ela vai adquirir um cilindro de inox com placas, onde uma placa é para cada 100 litros de água. Assim, irá acumular água quente para fornecer aos chuveiros e torneiras”, diz.

Ainda segundo a vendedora, em dias sem sol o sistema não funciona. Então, as opções visam o chuveiro elétrico ou ligar uma resistência que fica no aquecedor para esquentar a água. Porém , será necessário o uso de energia elétrica.

A moradora Elaine Cristina Bozza conta que adquiriu o sistema para evitar passar frio no chuveiro durante o inverno.

“O aquecedor elétrico consome muita energia. Já o solar não, pois é com a luz do dia. Então, a economia é maior”, diz.

FONTE – g1.globo.com

Arcvera atinge 2 GW da eólica e solar brasileira e inaugura novo escritório em São Paulo

A atividade nos mercados de energia eólica e solar do Brasil está crescendo novamente à medida que a economia do país se recupera, com os recentes leilões – o primeiro desde 2016 – dando início ao desenvolvimento

Arcvera atinge 2 GW da eólica e solar brasileira e inaugura novo escritório em São Paulo

Empresainternacional de assessoria técnica AArcVera Renewables prestou consultoria em um projeto total de gasoduto superior a 17 GW, incluindo 2 GW de capacidade operacional, no mercado brasileiro de renováveis.

A ArcVera é especializada em avaliação, otimização e teste de recursos durante todo o projeto. Este marco foi alcançado à medida que o negócio solidifica sua presença na América Latina com o estabelecimento de um novo escritório em São Paulo. A atividade nos mercados de energia eólica e solar do Brasil está crescendo novamente à medida que a economia do país se recupera, com os recentes leilões – o primeiro desde 2016 – dando início ao desenvolvimento. Após este ressurgimento, a concorrência é tão feroz como sempre, com lances baixos de projetos sendo apresentados pelos principais participantes nacionais e internacionais.

Em meio a esse cenário agressivo de licitações, assegurar que os projetos de energia renovável não sejam apenas desenvolvidos e financiados com base em dados precisos e lucrativos, mas também otimizados para atingir todo o seu potencial ao longo da vida, é essencial para manter a lucratividade, apesar da queda dos preços e da redução margens.

A equipe de cientistas atmosféricos, analistas de dados e engenheiros da ArcVera foi formada em março de 2017 através da fusão de duas consultorias técnicas altamente experientes nos Estados Unidos, V-Bar e Chinook Wind, que alcançaram um histórico nos mercados de energia eólica e solar. mais de 7 anos.

Durante esse período, a ArcVera forneceu suporte independente de engenharia e devida diligência a muitos dos maiores participantes das renováveis ​​brasileiras – de bancos domésticos e instituições financeiras internacionais a desenvolvedores de projetos e proprietários / operadores de portfólio. Os contratos variaram desde o estágio inicial do trabalho de prospecção do local, passando pelo apoio ao desenvolvimento e financiamento, até a construção e operações – abrangendo aproximadamente 2 GW de projetos eólicos e solares.

O novo escritório da ArcVera, estrategicamente localizado em São Paulo, solidificará ainda mais a presença do negócio no local, e fornecerá um importante hub a partir do qual apoiará um pipeline de projetos em expansão, tanto no Brasil quanto em outros países da América Latina.

“Em um mercado próspero e competitivo de energia renovável como o Brasil, as margens do projeto são boas e decidem os vencedores e os perdedores – tanto no financiamento através do processo de leilão quanto na manutenção da lucratividade no longo prazo”, disse John. Bosche, Presidente e Engenheiro Principal, ArcVera Renewables.

“Nesse clima, o valor de dados de recursos precisos e independentemente validados não pode ser subestimado, nem a importância de encontrar um parceiro confiável com a experiência de mercado local e conhecimento técnico para respaldar decisões de financiamento, desenvolvimento e operacionais críticas ao projeto”.

FONTE – clickpetroleo.com.br

Novas tecnologias em energia solar são debatidas em São Paulo

O maior evento do setor na América do Sul acontece em São Paulo até o dia 30 de agosto, com mais de 200 expositores

Mesmo em São Paulo, que já foi apelidada de “terra da garoa”, o sol brilha forte em vários dias do ano. Afinal, estamos em um país tropical, uma ótima razão para aproveitarmos o potencial energético do astro-rei. Pois é justamente na capital paulista que estão em debate as principais novidades sobre tecnologias em energia solar, no maior evento sobre o tema na América do Sul: a Intersolar South America 2018, que acontece entre 28 e 30 de agosto.

A Intersolar South America 2018 joga uma luz sobre as novas tecnologias em energia solarCrédito: Shutterstock/Daryna AndriianovaA Intersolar South America 2018 joga uma luz sobre as novas tecnologias em energia solar

Ao longo de três dias, representantes do setor privado, da academia e do poder público vão falar sobre tendências e também efetuar transações, uma vez que muitas empresas do segmento estão presentes na Intersolar.

A expectativa dos organizadores é que haja um aumento de cerca de 10% em relação aos números verificados no evento em sua edição de 2017. No ano passado, foram 220 expositores internacionais e mais de 12 mil visitantes, além de 89 palestrantes e 1.500 participantes em um congresso realizado simultaneamente à feira.

Nesta edição, haverá workshops, conferências e debates sobre métodos de produção fotovoltaica, tecnologias de armazenamento de energia elétrica e financiamento e planejamento de projetos, entre outros tópicos.

A empolgação ao reunir “players” do setor em um evento se justifica ao analisarmos os números desse mercado no Brasil: temos hoje 24.732 sistemas fotovoltaicos, somando mais de R$ 1,6 bilhão em investimentos acumulados desde 2012. A maior parte dos sistemas (78%) está em unidades residenciais.

A potência instalada no país atingiu 224 megawatts (MW), e, de acordo com a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), neste ano devem entrar em operação 33 novas plantas fotovoltaicas, gerando mais 929,3 MW de capacidade instalada.

A Intersolar South America 2018 também é um balcão de negóciosCrédito: DivulgaçãoA Intersolar South America 2018 também é um balcão de negócios

CONFIRA AS NOVIDADES DE TECNOLOGIAS EM ENERGIA SOLAR

Entre as novidades apresentadas na Intersolar South America 2018, destaque para o inversor e sistema de armazenamento de energia residencial PVS-175, da ABB, eleito como a mais inovadora entre as soluções fotovoltaicas na Intersolar Europa; os fixadores para telhados da Thesan; e tecnologias de ponta em cabos e conectores, como os da Nexans, da Prysmian Group e da General Cable.

Para quem gosta de números, a Greener, empresa de pesquisa e consultoria especializada no setor de energia solar fotovoltaica, vai apresentar um estudo sobre o mercado fotovoltaico de geração distribuída.

Interessados em investir no segmento, por sua vez, poderão conhecer a linha de crédito da Portal Solar para o financiamento de projetos de geração distribuída em unidades residenciais, comerciais e industriais.

Em parceria com o Banco Votorantim, os planos são para sistemas fotovoltaicos orçados entre R$ 5.000 e R$ 500 mil, com juros entre 1,48% e 1,78% ao mês e parcelamento de 12 a 60 meses. Entre os itens financiados, há geradores fotovoltaicos, equipamentos de instalação, inversores e sistemas de bombeamento.

FONTE – catracalivre.com.br

Wellington Dias se reúne com investidores de energia em São Paulo

Governador do Piauí buscava incentivar empresários a continuar com investimentos na Bacia do Parnaíba.

O Governador Wellington Dias, em agenda em São Paulo nesta segunda (9), se reuniu com investidores e empresários do setor de energias renováveis do Brasil e de outros países. Foram debatidos também encaminhamentos nas áreas de gás e petróleo na Bacia do Parnaíba.

Wellington Dias.(Foto: Facebook/ Wellington Dias)

Wellington Dias ainda defendeu que a crise política não irá afetar a área de energias renováveis. “Nos diversos campos políticos, a prioridade para investimentos na geração de energia eólica ou solar vai prosseguir e o marco regulatório do Brasil e do Piauí irão prosseguir, por isso quero encorajar investimentos no estado”, disse o governador.

A agenda buscava a continuação da dinâmica acelerada de investimentos. Outros empreendimentos do setor de gás e petróleo também foram pautas na visita a São Paulo. “Aqui a novidade é o leilão permanente na Bacia do Parnaíba. O Grupo Ouro Preto já está na fase de perfuração dos poços e, se Deus quiser, gás e, quem sabe, petróleo serão descobertos nestas áreas. Há blocos disponíveis e queremos estar junto dos investidores apoiando seus empreendimentos”, afirmou Wellington.

Investidores do ramo de gás e petróleo garantiram sentir confiança para prosseguir com os projetos em andamento no Piauí.

FONTE – viagora.com.br

Governador busca investimentos com representantes de energia em SP

Em agenda em São Paulo nesta segunda (9), o governador Wellington Dias (PT) se reuniu com empresários do setor de energias renováveis do Brasil e de outros países. Na ocasião também foram debatidos encaminhamentos na área de gás e petróleo na Bacia do Parnaíba.

Na área de energias renováveis, o governador do Piauí defendeu que a crise política não afeta o setor.  “Nos diversos campos políticos a prioridade para investimentos na geração de energia eólica ou solar vai prosseguir e o marco regulatório do Brasil e no Piauí vai prosseguir e por isto quero encorajar investimentos no estado”, disse Wellington.

A agenda buscava dar continuidade a dinâmica célere dos investimentos. Outros empreendimentos do setor de gás e petróleo também foram tratados na visita a São Paulo. “Aqui a novidade é o leilão permanente na Bacia do Parnaíba. O Grupo Ouro Preto já está na fase de perfuração dos poços e se Deus quiser gás e quem sabe Petróleo serão descobertos nestas áreas. Há blocos disponíveis e queremos estar juntos dos investidores apoiando em seus empreendimentos”, destacou Dias.

Os investidores do ramo de gás e petróleo garantiram sentir segurança para prosseguir nos projetos em andamento no Piauí.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

FONTE – cidadeverde.com

São Paulo planeja colocar refletores de LED, energia solar e telões no Morumbi

O São Paulo dará o pontapé inicial em algumas mudanças na infraestrutura do estádio do Morumbi entre junho e julho. O clube negocia com empresas parcerias para evitar os custos das reformas. Algumas têm expectativa de serem concluídas ainda nesta temporada.

Uma das principais mudanças é na iluminação, que passará a ter refletores de LED com a potência máxima permitida em estádios. O clube já fez testes e garante uma melhora significativa para os jogos à tarde e à noite. O Estado apurou que a diretoria tricolor tem negociação avançada com uma empresa sul-coreana para a substituição dos atuais refletores.

Os estudos para as mudanças na iluminação vêm de tempo, como adiantou o Blog do Morelli no ano passado. Além da preocupação com os jogos, o São Paulo quer evitar “perder” shows e outros eventos para as arenas rivais, de Palmeiras e Corinthians.

Com o apoio de patrocínio da Ambev, o clube também fará uma grande reforma nos vestiários (de mandante e visitante) e no acesso deles ao gramado. Tudo será ampliado e, diferente do que acontece hoje, os times passarão a subir para o campo por um mesmo túnel, compartilhado e mais amplo.

A diretoria tricolor ainda trabalha para tentar viabilizar outras duas novidades: telões no estádio – ideia ainda em fase embrionária de estudos de viabilidade – e a instalação de placas para captação de energia solar em cima das fileiras mais externas das arquibancadas do estádio, que passariam a ser cobertas.

Em negociação avançada com uma empresa de tecnologia alemã, a intenção do São Paulo é ter sua própria usina de energia solar e instalar ao redor de todo o estádio coberturas com placas de sete metros de largura para captar a energia que, além de ser utilizada no próprio estádio, poderá ser vendida.

CT DA BARRA FUNDA – O São Paulo também planeja ampliar e mudar alguns espaços em CT da Barra Funda. Os vestiários dos atletas, hoje localizados embaixo da arquibancada, seriam colocados junto do alojamento, nos fundos do prédio principal. Onde estão localizados hoje, na entrada do CT, será o novo espaço para a imprensa, hoje anexa ao acesso para o Reffis. A academia e o Reffis serão ampliados e passarão a ocupar também o espaço hoje dedicado aos jornalistas que acompanham o dia-a-dia tricolor.

FONTE – istoe.com.br