‘Usina’ vai produzir energia solar para iluminação pública de Vitória

Serão instaladas 540 placas solares em uma área de aproximadamente mil metros quadrados

O município de Vitória terá uma “usina” de geração de energia solar, que tem baixo custo de operação e manutenção e ainda traz economia para a cidade. A estrutura já está sendo montada na área de estacionamento da Praça do Papa, na Enseada do Suá.

De acordo com a prefeitura, serão instaladas 540 placas solares em uma área de aproximadamente mil metros quadrados, recebendo diretamente a incidência da luz solar. A energia solar gerada na região da Praça do Papa será usada para iluminar, principalmente, as luminárias da cidade.

A expectativa é de que o município economize 25 mil kWh, ou seja, cerca de R$ 100 mil por ano. A economia poderá ser revertida em redução da tarifa de iluminação pública ou em melhorias no sistema de iluminação da cidade. A previsão é de que a usina comece a operar até agosto deste ano.

O sistema fotovoltaico de geração de energia tem 4,77 kWp de potência instalada. A energia produzida na estrutura vai para a rede da EDP. “Vamos gerar energia solar e ao mesmo tempo cobrir o estacionamento. Possivelmente, é a primeira usina no Estado. Essa é uma ação que já estamos trabalhando há algum tempo. Iremos gerar energia e economia. Estamos começando na cidade uma tendência mundial sem volta”, disse o prefeito Luciano Rezende.

Projeto

Após a conclusão do projeto piloto na Enseada do Suá, a prefeitura também tem planos de instalar placas para a captação de energia solar no estacionamento do Tancredão, no bairro Mário Cypreste. O investimento total na instalação das duas usinas (Praça do Papa e Tancredão) será de R$ 1,4 milhão.

São sistemas de geração de energia para iluminação pública e sinalização especial de faixas de pedestres alimentados por painéis fotovoltaicos. A geração de energia ocorrerá de forma sustentável e por meios da captação do sol pelas placas solares.

Usina

Segundo o secretário de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória, Tyago Hoffmann, será uma “usina” de produção de energia em tamanho menor. Ele explicou que a energia será gerada por fontes renováveis, que não agridem o meio ambiente, e segue na linha do que o mundo tem feito com sucesso ao buscar soluções para diminuição da emissão de gás carbônico.

“A prefeitura economizará recursos e, ao mesmo tempo, terá a capacidade de gerar energia. Um salto importante que coloca Vitória em destaque nacional e em sintonia com aquilo que o mundo faz há tempo. Das energias renováveis, a que melhor se adapta para aplicação em meios urbanos é a solar, por não exigir manutenção constante, não afetar a vida cotidiana das pessoas e não necessitar de um local específico para sua instalação, podendo ser inserida em coberturas de edificações, sobre estacionamentos e até em áreas não produtivas próximas ao local de consumo, por exemplo”, explicou Hoffmann.

Vocação

Vitória está localizada em uma região que possui os maiores índices solarimétricos médios do Brasil, indicando ser uma região excelente para a geração de energia elétrica por painéis fotovoltaicos.

Com a proximidade da diminuição da fonte hidráulica, o encarecimento das fontes fósseis e o risco da utilização de fontes nucleares, as energias renováveis sem queima se tornam cada vez mais competitivas tanto em custo quanto em ganho de escala por não gerarem resíduos.

Renovável

A energia solar consiste em uma fonte de energia limpa e renovável, pois não se finda, já que o sol está ali todos os dias. Dentre os aspectos positivos dessa energia, podemos destacar a economia, a forma segura de gerar energia, não é poluente, não influi no efeito estufa.

“Dessa forma, mesmo numa área dentro da cidade e relativamente pequena como aqui em Vitória, temos a oportunidade de ter nossa pequena usina. Países como Japão, Alemanha e Estados Unidos já descobriram isso há décadas e tiveram vantagens econômicas, ambientais e práticas com a recuperação daquilo investido em poucos anos”, reforçou Hoffmann.

FONTE – novo.folhavitoria.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *